Testemunhos

Aqui estão algumas das histórias de restauração de vidas que passaram pelo JEAME, e que nos estimula a continuar e procurar expandir cada vez mais o nosso trabalho.

Se você tem uma história semelhante e quiser compartilhá-la conosco, clique aqui.

Claudio Pita

Pastor Batista, Diretor do Lar Nefesh

O JEAME foi muito marcante em minha vida. Quando internado na antiga FEBEM, pude ouvir a Palavra de Deus e os testemunhos dos recuperados. Leia mais…

Gilmar Ambrosio

Missionário voluntário do  JEAME – Membro da Igreja Metodista Wesleyana

Vim de uma família ótima onde fui amado. Estudei até o 2º ano de Licenças Contábeis, mas muito novo me aderi ao movimento hippie e ao rock onde conheci as drogas. Leia mais…

Ranulfo Gonçalves Nascimento Junior

Pastor Batista

Junto com meu irmão, conheci as drogas e o crime. Comecei como usuário, depois me tornei traficante e assaltante. Fiz parte de uma quadrilha que roubava aviões e os vendia no exterior. Leia mais…

Glaucia Fernandes

Membro da Igreja Assembléia de Deus

Conheci o JEAME aos 14 anos. Muito cedo fugi de casa, por não agüentar as agressões verbais de minha mãe e fui morar na Praça da Sé. Ali, cheirava tanta cola que chegava a desmaiar e dormia por dois dias seguidos. Leia mais…

Edvaldo Duarte

Membro da Igreja Assembléia de Deus

Nasci em uma família pobre em São Paulo. Juntamente com meus 11 irmãos fomos colocados em orfanato.  Aos 16 anos, já estava na Pça da Sé, que era o principal foco de drogas de São Paulo. Durante o dia, roubava pessoas em pontos de ônibus, ambulantes e me drogava. Leia mais…

Lino Soares

Membro da Igreja Batista

Meu pai era alcoólatra e violento. Quando minha mãe estava grávida de mim, meu pai dava chutes na barriga dela para eu morrer. Comecei a trabalhar cedo e com o tempo fui aprendendo o que era uma vida amarga. Então, optei pelo mais fácil. Comecei com o cigarro e depois a maconha. Leia mais…

Rene Calixto

Missionário da Comunidade Moriá
Educador da Comunidade Metodista de Povo de rua

Vivi uma história de criminalidade. Minha família – esposa, cunhado e eu – formávamos uma quadrilha. Fiquei cinco anos na extinta Casa de Detenção. Leia mais…

Fernando Cardoso Leal, Pr

Membro da Igreja Evangélica Nova Aliança em Curitiba

Vim de uma família disfuncional, pai músico, boêmio e viciado em drogas e bebidas. Minha mãe era ingênua, isto é, sem malícia da vida, pois tinha apenas treze anos quando conheceu meu pai. Cresci presenciando uma série de abusos por parte de meu pai contra nossa família. Leia mais…

Expedito F. S. Filho

Técnico de enfermagem
Membro da Igreja Assembléia de Deus de Promessas

Comecei a usar drogas aos 11 anos, iniciando no crime com pequenos roubos.  Aos 15 anos já era traficante e líder de quadrilha. Leia mais…

Agnaldo Veríssimo

Fundador e Diretor do Pirituba Warriors

Morava em uma favela no Jardim Edite na Zona Sul, onde hoje passa a Av. Água Espraiada.
Passei quatro vezes pela FEBEM por me envolver com assalto a mão armada e tráfico. Leia mais…

Marcos

Missionário na Fundação C.A.S.A (antiga FEBEM)
Membro na igreja Batista da Água Branca

Os espancamentos que eu sofria quando meu pai voltava para casa eram constantes, isto fez com que eu e minha irmã nos envolvêssemos com as drogas e o crime. Leia mais…

Adilson

Membro da Primeira Igreja Batista do Parque São Rafael

Eu nasci e cresci em berço evangélico […]. Com 14 anos me afastei, comecei a usar drogas e a praticar assaltos, tive três passagens pela FEBEM, na última fiquei interno um ano e dois meses, na Unidade do Tatuapé. Leia mais…

Luis Marcelo

Membro da Igreja Assembléia de Deus

Ainda bebê, a mãe o abandonou num terreno baldio na Vila Mariana. Cresceu na FEBEM. “Não recebia visitas e nem presentes, era esquecido por todos, era espancado, sem carinho e sem amor. Cresci em um ambiente de infratores e me tornei um deles.” Leia mais…

Adriana

Estudante de Teologia

Adriana chegou a São Paulo com 13 anos de idade, fugiu de sua casa por tentativa de abuso sexual por parte de seu padrasto, já que ao contar o fato para sua mãe, esta não acreditou. Nas ruas de São Paulo, com apenas 16 anos, Adriana ficou grávida. Leia mais…


Futuro: permanecer em Cristo

São tantas histórias, que se todas fossem escritas, precisariam de muitos livros. Cremos que muito mais sementes germinaram e deram frutos, mas que somente conheceremos na glória.

O coração do homem, da mulher, dos jovens, assim como das crianças, é um coração endurecido marcado pelo pecado, pela dor e abandono. Em muitos casos, o sofrimento endurece ainda mais, mas em outros se torna solo fértil para receber a boa semente.

Nosso plano para o futuro é permanecer em Cristo, pois sem Ele nada podemos fazer. Portanto vamos continuar lançando a boa semente e orar para que caiam em solo fértil, para que cresça e dê boa colheita, para a expansão do reino de Deus

Veja também os testemunhos daqueles que marcaram nosso ministério mas já partiram.